Início >> Noticia >> Cerca de quatro mil pessoas são atendidas pela Caravana Pro Paz em Capanema
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Cerca de quatro mil pessoas são atendidas pela Caravana Pro Paz em Capanema

segunda-feira, 2 Abril, 2018

Cerca de 4 mil pessoas receberam os serviços de emissão de CPF, RG, Certidão de Nascimento 1° e 2° vias, Id jovem, Identidade de Nome Social e aconselhamento jurídico, na cidade de Capanema, no nordeste paraense. A ação ocorreu entre os dias 29 de março a 1º de abril, promovida pela Caravana do Programa Pro Paz Cidadania, mantido pela Fundação Pro Paz, nos municípios do Pará. Agora a Caravana segue para os municípios de Quatipuru, nos dias 4, 5 e 6 de abril e São João de Pirabas, nos dias 8 e 9 de abril.

Os serviços foram oferecidos no espaço da Câmara Municipal da cidade. Ao todo, 3.821 pessoas foram atendidas e a maior procura foi pela emissão da 2ª via da Carteira de Identidade (o Registro Geral), com 1.158 pessoas atendidas.

O estudante Jorge Wanderson Reis, de 17 anos, foi uma das pessoas beneficiadas. Ele estava há três anos sem RG, porque todos os seus documentos haviam sido perdidos durante um incêndio. A Caravana, durante o feriado da Páscoa, foi à oportunidade de obter novamente uma identidade.

"Hoje pude finalmente tirar o meu RG depois de tanto tempo. A gente tem muita dificuldade na emissão de documentos aqui e é muito legal ver toda essa população tendo essa oportunidade aqui”, disse.

O coordenador do Pro Paz Cidadania, Roberto Oliveira, destacou a importância das parcerias durante a Caravana. “As ações acontecem em parceria com a Polícia Civil, Defensoria Pública Secretaria de Assistência Social Trabalho Emprego e Renda, Defensoria Pública e as prefeituras municipais e vereadores, e isso nos garante um trabalho com êxito”, informou o coordenador.

Outra beneficiada pelas ações da Caravana, no município de Capanema, foi a dona de casa, Elza Patrícia Costa, 39, que conseguiu tirar uma segunda via de sua certidão de nascimento, praticamente apagada pelo tempo. "Não tenho condições de pagar para ter uma segunda via e me incomodava o fato de ter esse documento todo deteriorado", informou.