Início da busca
Início do Conteúdo
Versão para impressãoEnvie por email

Desde a última sexta-feira, 23, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) deflagrou inúmeras operações na capital e no interior, a exemplo da “Buriti”, em Abaetetuba e “Bloqueio”, realizada no Jurunas, em Belém.

Também na sexta-feira, no final da tarde, uma grande ação intitulada “Prevenção é Segurança”, de caráter preventivo foi promovida pela Segup no Portal da Amazônia. Direcionada, sobretudo, a crianças e adolescentes, a programação contou com um grande estande, onde vários projetos educativos desenvolvidos por órgãos de segurança estaduais foram apresentados ao público. Polícias Militar e Civil, Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran), Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” e Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) marcaram presença no evento. A Prefeitura Municipal de Belém participou também com a presença da Guarda Municipal.

Dentre os projetos conferidos pela comunidade, estavam o Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd), sob a organização da Polícia Militar; do Projeto Escola da Vida (PEV), desenvolvido pelo Corpo de Bombeiros Militar do Pará e o projeto "Papo de Rocha", de responsabilidade da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe).

Balé, dança e orquestra sinfônica foram algumas atividades do projeto Pro Paz nos Bairros. Os participantes do evento tiveram a oportunidade também de ouvir o som das bandas de música da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. Os animais do canil da Polícia Militar, os equipamentos do Batalhão de Choque, o guindaste do CBM e um helicóptero do Grupamento Aéreo da Segup chamaram a atenção dos visitantes.

Richardson Nogueira Lisboa, 20 anos, estudante do curso de Letras, esteve presente no evento e deu o testemunho sobre o PEV. "Eu comecei quando tinha apenas 14 anos de idade. Foi quando me interessei em participar do projeto. Na minha participação eu adquiri muitos conhecimentos no quartel como primeiro socorros e combate a incêndio. Aprendi muita coisa para não seguir outros caminhos”, detalhou.  

“Temos que chamar a atenção das famílias, das crianças e dos adolescentes, para prevenirmos que entrem para a criminalidade”, diz o general Jeannot Jansen, titular da Segup.

O depoimento do universitário reforça cada vez mais medidas preventivas como a realizada pela Diretoria de Prevenção Social da Violência e da Criminalidade (Diprev) da Segup. Os números também justificam. Em 2016, a polícia apreendeu 1.678 menores de idade em decorrência de variados delitos. Já em 2015, foram 1.595 infrações. O crescimento foi de 5,2%.  A Diprev, no ano passado, realizou cerca de 1,2 mil atendimentos com foco na prevenção aos crimes.

O Projeto Escola da Vida atua com 23 pólos distribuídos no Estado e atende 3 mil alunos. “Eu comecei com dez anos na Escola da Vida, a minha mãe quis me colocar. Influenciou muito na minha vida. Me tornei um aluno melhor. O projeto muda as pessoas, ajuda tirando as crianças da rua”, disse Rafael Ramos de Góes, 18 anos, soldado do Exército.

“Esse é um projeto muito importante e precisa ser mantido, o PEV existe há mais de 20 anos. Estamos aqui para mostrar para a comunidade que a prevenção é fundamental”, afirma a diretora de Prevenção da Segup, delegada Silvia Rêgo.

Por Sérgio Chêne