Início >> Noticia >> Dança traz mudança de vida a jovens do Pro Paz
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Dança traz mudança de vida a jovens do Pro Paz

O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Educação (SEDUC), da Secretaria Adjunta de Ensino (SAEN), do Núcleo de Esporte e Lazer (NEL) e da Fundação Pro Paz, realizaram na última quarta-feira (16) a XII Mostra de Dança, no Teatro Margarida Schivasappa. O evento foi a culminância das atividades de dança feitas durante 2015 nas Escolas Públicas Estaduais, nos Polos Esportivos NEL/SAEN/SEDUC e Polos Pro Paz. Na oportunidade, jovens participantes do Pro Paz demonstraram talento e paixão pela dança.

 

A programação homenageou o aniversário de 400 anos de Belém, levando, dessa forma, o título “Belém 400 anos - Cidade de muitos encantos” e fazendo alusão às diversas características que compõem a cidade, desde a tradição bucólica à modernidade frenética das luzes e ritmos das festas de aparelhagem. Foram 15 apresentações de diversos grupos e escolas, sendo 7 representantes de parcerias do Pro Paz. O Pro Paz Distrito Industrial apresentou “La Belle Epoque”, com coreografia de Augusto Pantoja; já o Polo UFRA levou “Brinquedos de Miriti”, da professora Elene Pinheiro, e “Ver-o-Peso da Força Paraense”, de Diego Jaques e Adalnice Duarte. O Pro Paz Sacramenta apresentou “Mangal das Garças”, coreografia de Camila Lima e Karina Prado, enquanto Pro Paz Castanhal fechou a participação da Fundação com “Corpos”, trabalho de Marta Jardim.

 

O Pro Paz UEPA, por sua vez, contou com duas apresentações. Uma delas foi “A Fé”, com coreografia da professora Leila Velasco. A jovem de 21 anos Emilly Dias é uma das dançarinas da apresentação. Ela participa há quatro anos da dança moderna do Polo: “esse projeto me ajudou em muita coisa. Hoje em dia, curso Educação Física graças ao projeto”. A professora Leila fala que o projeto ajuda muito na vida da juventude local: “já vi meninas que começaram pequenininhas e hoje estão enormes e continuam junto com a gente”. Leila conta que a paixão pela dança acaba motivando elas a cumprirem alguns pré-requisitos determinados aos pais para continuarem no Polo: “porque precisam tirar boas notas para se manter na atividade, precisam ter um bom comportamento”.    

 

A outra coreografia do Pro Paz UEPA foi de ginástica rítmica, intitulada “Crianças de Belém, das brincadeiras ao esporte aqui também tem”, coordenada pela professora Ivana Bonfim. A Layza Belo, 10 anos, foi uma das crianças dessa apresentação. “Foi legal, eu gostei muito. Dancei com bola, teve gente que dançou com arco, teve também mãos livres e outros”, conta. A Laysa pratica ginástica rítmica há três anos. “Eu me sinto muito bem quando pratico ginástica, porque eu gosto muito de interagir com os materiais”, desabafa. Além disso, ela também faz natação no Polo. Sua mãe, Tatiane Belo, diz que a atividade ajuda muito a garota: “hoje em dia, muitas crianças ficam na rua, então, para mim, ela ocupar o tempo com essas atividades é excelente”.

 

A Sophia Costa, 11 anos, também está no Pro Paz UEPA há três anos. Assim como Layza, ela faz natação e ginástica rítmica no Polo. “Eu fiquei mais flexível depois que comecei a praticar ginástica”, diz. “Agora, me concentro mais e tenho mais equilíbrio”, completa. Silvana Costa, sua mãe, fala que “ela ficava em casa no videogame, no celular e na televisão o dia inteiro antes de participar. Hoje, ela fica ansiosa para ir pra UEPA, não gosta de faltar”. “Todo ano ela está com a matrícula reservada”, finaliza.

 

A professora Ana Glória Guerreiro, coordenadora da equipe do NEL, conta que essa foi uma realização que trouxe muita alegria aos participantes: “Esse era um sonho para os alunos e professores: se apresentar em um teatro. A gente se apresentava em ginásios, nas praças, e agora estamos no teatro. É muito gratificante”. A coordenadora conta ainda alguns ganhos que 2015 trouxe a esse trabalho: “nós começamos uma etapa extraordinária na parceria com o Pro Paz. Recentemente, no Paralímpico, levamos um atleta a Natal representando uma nova era com a Fundação Pro Paz, de fomentar o esporte adaptado também”. “Essa é uma possibilidade de relacionar o aluno da comunidade com o aluno de escola pública”, completa.

 

Mônica Altman, coordenadora do Pro Paz Escola, ressalta a contribuição dessas atividades para a propagação de uma sociedade mais pacífica: “é muito importante que esses alunos possam demonstrar todo o potencial que foi desenvolvido durante o ano nesses polos através do protagonismo juvenil, que é um canal de disseminação da cultura de paz”.

 

Em 2016, as atividades da parceria NEL e Pro Paz continuam. As matrículas iniciarão no dia 18 de janeiro de 2016. O objetivo para esse próximo ano é continuar a realizar sonhos de crianças e adolescentes e, por fim, levar a apresentação da Mostra de Dança ao Theatro da Paz.

 
Alice Martins Morais