Início >> Noticia >> Pro Paz fala sobre violência contra mulheres em canteiro de obras em Belém
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Pro Paz fala sobre violência contra mulheres em canteiro de obras em Belém

Operários de uma empresa de engenharia participaram de palestra sobre violência contra a mulher na manhã desta segunda-feira (20), num canteiro de obras, no bairro Castanheira, em Belém. O projeto nasceu de uma parceria entre a Fundação Pro Paz, o Sindicato da Indústria da Construção do Estado do Pará (Sinduscon-PA) e o Tribunal de Justiça do Estado (TJE), que assinaram um termo de cooperação técnica, em novembro de 2016, cujo objetivo é intensificar a prevenção e o combate à violência de gênero no Pará.

Os projetos envolvem os três organismos trabalhando em conjunto as ações “Mutirão nos Bairros” e “Mãos à obra: trabalhadores no combate à violência contra a mulher”. Ambos estão interligados e vinculados a ações do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do próprio Supremo Tribunal Federal (STF) em curso no Brasil inteiro. O primeiro é uma ação do TJE que visa dar celeridade a processos que estão esperando apreciação nas varas de violência contra a mulher. 

Para o operário Edvaldo Silva, casado, pai de três filhos, é preciso falar sobre todas as formas de violência, seja no trabalho ou em casa. “Esse é um assunto que vou levar pra minha casa. É preciso educar nossas crianças desde cedo para que sejam cidadãos de bem, respeitem as mulheres e entendam que violência doméstica é crime”, opinou o trabalhador.

“O tema é muito importante para nós, pois trabalhamos com homens e mulheres e em anos anteriores chegamos a presenciar coisas como assédio e piadas que acabam desrespeitando a mulher. Entendemos que essas situações não são exclusivas dos canteiros de obras, mas em toda a sociedade e que devem ser combatidas com iniciativas como essas”, declarou Edinair Guimarães, técnica em Segurança do Trabalho da empresa.

Para o engenheiro responsável pela obra, Mauro Nascimento, a parceria com a Fundação Pro Paz é importantíssima para que os operários do segmento levem os ensinamentos para dentro de suas casas. “Muitas vezes, essa temática é tabu na sociedade. Para muitos é difícil falar de um tema tão delicado e que precisa de pessoas qualificadas para explicar melhor como eles acontecem e devem ser defendidos. A assistente social do Pro Paz Mulher desempenhou muito bem esse papel”, detalhou Nascimento.

De acordo com o sindicato, as palestras surgiram de um levantamento de necessidades da central de serviços, e a violência contra a mulher foi um dos temas escolhidos pelos próprios trabalhadores. O ciclo de palestras acontece até a próxima sexta-feira (24), em obras localizadas nos bairros de São Brás, Telégrafo, Umarizal e distrito de Outeiro. O Sinduscon estima um público de aproximadamente 580 operários nos encontros realizados esta semana.

Por Nil Muniz